" />" />

Por Um Punhado de Spaghetti Westerns - PPSW

A Fistful of Spaghetti Westerns

Documento Post New Entry

Um Dólar Para Sartana - 1971

Posted by Henrique Sousa on November 13, 2012 at 9:50 PM

Su Le Mani, Cadavere! Sei in Arresto - 1971

Dirigido por Sergio Bergonzelli (aqui creditado como Leon Klimovsky)


Depois de uma devastadora batalha na Guerra Civil americana; Grayton (Aldo Sambrell), um oficial da União, montado em seu cavalo, dá um tiro de misericórdia em todos os feridos e desarmados sobreviventes do exército confederado que vai encontrando pelo campo de batalha.  Em uma casa onde os feridos recebem tratamento, ele entrega sua arma a um jovem médico, e ordena que ele mate um soldado enfermo. Com a arma em punho, o jovem médico hesita e, nesse momento, um dos feridos atira no cruel oficial. Baleado em uma das mãos, Grayton consegue fugir.  Tempos depois, o jovem médico, conhecido como Sando Kid (Peter Lee Lawrence) é treinado por este homem ferido e se junta ao Rangers do exército, patrulhando o lado sem lei do território. Tornando-se um dos melhores homens na força, ele é enviado para sua cidade natal, Springfield, para lidar com um grupo de bandidos, liderados por Grayton, que estão aterrorizando a população local a vender suas terras para que ele possa vendê-las para a estrada de ferro.


Os spaghetti westerns dos anos 70 tiveram uma quantidade considerável de filmes produzidos com recursos de truques muito bem elaborados (caso dos Kung Fu Westerns),  sem falar também das comédias pastelão.  Entretanto, Um dólar para Sartana acabou sendo um filme completamente diferente, com uma história muito familiar, bem similar aos filmes clássicos americanos. O primeiro quarto de hora da trama fornece quase uma montagem do desenvolvimento de Sando, de um médico tímido, para um Ranger mortal. E tudo isso muito rapidamente, fato que  poderia ter sido mostrado por muito mais tempo, mesmo não  ajudando  a dar um fundo para o personagem, nem a diferenciá-lo do típico herói dos spaghetti westerns, que surge cavalgando do nada.  O resultado acaba fazendo de Sando Kid um Ranger  e um herói puro. Não o típico caçador de recompensas, anti-herói, porém, o expectador verifica que esses ingredientes apenas ajudam a confirmar essa atmosfera de faroeste americano. Embora as cenas de abertura definam um tom muito sombrio ao filme, no decorrer da trama, também há momentos de grande leveza que, geralmente, descontrai bastante com situações muito engraçadas.  O filme tem alguns momentos narrativos que causam leve confusão ao roteiro, mas, no resumo, funciona muito bem, e o ritmo é bom, com cenas de ação freqüentes, levando a um clímax inevitável, porém, muito bem montadas e trabalhadas.


O diretor Leon Klimovsky, mais conhecido por seus filmes de terror espanhol, foi muitas vezes classificado como um profissional incompetente, entretanto, seu trabalho em Um dólar para Sartana é bastante elogiável. Um ponto muito positivo é que quase todo o trabalho é filmado com câmeras de mão, dando à ação, cenas de um verdadeiro sentido de drama. Além disso, um olhar mais crítico pode observar algumas edições muito eficientes por todo o filme. O renomado compositor  Alessandro Alessandroni oferece uma trilha sonora bastante apropriada e eficaz, bem ao estilo spaghetti western.


O jovem ator, na época, Peter Lee Lawrence, assume o papel principal neste filme, aqui,  ladeado por um  elenco de primeira, e sabendo bem da necessidade de se desenvolver e rapidamente se aperfeiçoar, no cinema,  transformando-se de garoto em homem. Destaque para a forte presença, sempre muito frequente nos spaghetti westerns da época, de Aldo Sambrell, no papel de  Grayton.  Outra importante participação é a da atriz alemã Helga Liné, que frequentemente participava de filmes de horror, na Espanha. O expectador também verá outras participações como a de Aurora del Alba (Vingança dos Zombies (1973)) no papel de mãe de Leonor, e Agostini Franco (The Case of the Bloody Iris (1972)) como Padre Brown.. Por outro lado, o desconhecido Espartaco Santoni e a bela Maria Zanandrea têm atuações destacadas interpretando Dólar e Leonor, mesmo ficando a impressão que poderiam dar muito mais de si neste trabalho.

 

Bem escrito, dirigido e com ótimas atuações, Um dólar para Sartana é um filme surpreendentemente muito bom, de um tempo quando os Spaghetti Westerns já começavam a dar sinais de declínio. Como em tantos outros, o filme também pega  carona na fama e popularidade do personagem Sartana para nomear o título em francês e espanhol, mesmo não tendo ninguém com esse nome na trama. Não há grandes surpresas no roteiro, e nada que não tenha sido feito antes em faroestes europeus ou americanos, mas todo o resultado acaba sendo muito bem recebido sob o ponto de vista da crítica e dos seguidores. O filme é altamente recomendado para os fãs do gênero, porém, não é  a melhor introdução para os recém-chegados.


 

Elenco: Espartaco Santoni, Peter Lee Lawrence, Helga Liné, Franco Agostino (creditado como Frank Agostino), Aldo Sambrell, Aurora de Alba, Tomás Blanco, José Canalejas, Lorenzo Robledo, Alfonso de la Vega, Maria Zanandrea (creditado como Mary Zan), Luis Barboo, Simon Arriaga, Joaquin Parra, Giovanni Santoponte, Antonio Cintado, Rafael Cores, Rafael de la Rosa

Música: Alessandro Alessandroni


Categories: Resenhas


Comments are disabled.