" />" />

Por Um Punhado de Spaghetti Westerns - PPSW

A Fistful of Spaghetti Westerns

Documento Post New Entry

Poucos Dólares Para Django - 1966

Posted by Henrique Sousa on September 16, 2012 at 11:00 PM

Pochi Dollari per Django - 1966

Dirigido por...pode parecer meio confuso, mas, este filme foi dirigido por Enzo G. Castellari, que aqui está creditado apenas como diretor assistente. Quem está apontado como diretor é Léon Klimovsky·

 

Há quem diga que o ano de 1966 foi o mais importante de todo o ciclo Spaghetti Western.  Os registros de lançamentos foram inúmeros nessa ocasião, e, para muitos,  foi neste ano que o gênero realmente decolou, com o famoso "Django", de Sergio Corbucci, que praticamente abriu o caminho para a enxurrada de filmes que estaria por vir.  Com o lançamento e a popularidade alcançada por “Django”, o mercado passou a seguir uma tendência, onde dezenas de filmes foram lançados, com títulos renomeados, numa clara tentativa de pegar carona no sucesso de “Django”. Dessa forma, assim como “Django atira Primeiro”, de Alberto de Martino, lançado meses antes, “Alguns dólares para Django” (Pochi dollari per Django), também foi renomeado, para lucrar com o sucesso e notoriedade do “Django” de Corbucci.

“Alguns dólares para Django” está cercado de curiosidades que ficarão para sempre nas páginas históricas do gênero. Um deles chama a atenção, em particular, e, certamente, pode ter passado despercebido de boa parte de fãs e seguidores em todos os países onde foi lançado. Diz respeito ao  título original que, da maneira como está escrito nos créditos de abertura do filme, o espectador lê “Diango”, com “i” mesmo, e não “Django”, com “j”, como o personagem de Corbucci acabou ficando conhecido no mundo.

 O filme começa com o caçador de recompensas, Django (também chamado de Regan), enfrentando membros da perigosa gangue de Jim Norton. Missão cumprida,  ele retorna a seus empregadores que lhe informam que o líder de gangue, Jim Norton, foi morto mas, que dois de seus homens,ainda estão foragidos. Django (Anthony Steffen) dirige-se para Montana,  em busca desses homens,  e para encontrar Trevor, irmão gêmeo de Jim Norton, na esperança de que ele possa ajudar em sua missão. O que Django não contava é que a região vivia um momento de conflito extremo, onde pecuaristas lutavam contra os agricultores. Em sua cavalgada até a pequena cidade de MileCity, onde vivia Trevor Norton, Django  se depara com um xerife assassinado. Sem mais nada a fazer por aquele homem morto, ele  decide levar a sua estrela dourada. Tudo indicava que  um  homem da lei estava sendo aguardado na cidade e, com a sua chegada, Django acaba sendo confundido como o novo xerife. Com a confusão,  ele se vê envolvido e arrastado para um violento conflito, entre agricultores e pecuaristas, que muitas vezes também é bastante cruel. Assumindo de vez a identidade de xerife, Django se vê diante de outra batalha muito pessoal: ele poderá trabalhar para tentar resolver a situação e trazer a paz para a cidade, ou será que seus instintos de caçador de recompensas falarão mais alto?

 “Alguns Dólares para Django” é surpreendentemente bem roteirizado para um filme de faroeste.  Mesmo o espectador mais casual pode descobrir que o argumento do "irmão gêmeo" é improvável, e que acaba por ser apenas isso. O  filme mantém o espectador imaginando e  adivinhando o tempo todo. Parece bastante decente a motivação de fazendeiros e agricultores com suas rixas e diferenças.  Muitos spaghetti westerns usaram a Revolução Mexicana como ponte para obter grandes e violentas gangues de homens, armados até os dentes, saqueando e atacando uns aos outros. No caso de “Alguns dólares para Django”, impressionantemente, nem os fazendeiros, nem osagricultores,  são mostrados como sendo os "maus" da trama.  Ambos os lados usam a violência e, embora os fazendeiros ataquem  mais brutalmente, são os agricultores que, aparentemente, provocam a coisa toda, erguendo suas cercas de arame  farpado. A estimulação é bastante decente, e o clímax do filme funciona perfeitamente.  Por outro lado, o filme  cai na armadilha de muitos filmes do gênero:   os bandidos levam muito tempo para decidir a eliminação do xerife.   Embora estejam preparados para matar a qualquer momento, eles ficam muito tempo parados com relação ao xerife.  A verdade é que o script,  como um todo,  apresenta traços de  influência do western americano,  e muito deste filme poderia ser confundido como um faroeste hollywoodiano. A diferença está na violência excessiva deste spaghetti western.

 Sabe-se que o orçamento da produção foi, obviamente, bastante substancial para este filme. Olhando minunciosamente,  há uma abundância de extras ao seu redor. tanto na forma de grandes grupos de atiradores montados a cavalo, como também na grande quantidade figurantes, nas cenas de rua, da cidade.  No entanto, no que diz respeito à direção, ela pode ser analisada como fraca e polêmica. Por exemplo, o enquadramento é muitas vezes terrível e,  de acordo com Enzo G. Castellari , que neste trabalho, está creditado como assistente de direção,  sob o nome Enzo Girolami, o diretor oficial (o espanhol Leon Klimovsky) foi tão incompetente e desinteressado  no material,  que o próprio Castellari  foi quem dirigiu  grande parte do filme.  As cenas de luta são muito distintas. Assim como em “Texas Adeus”, de Ferdinando Baldi, do mesmo ano, elas parecem ter sido realizadas com dublês treinados,  onde se percebe que muitos movimentos de luta são muito bem coreografados, bem como algumas  cenas de tiros, parecem bem reais e perfeitamente elaboradas.  A música se encaixa perfeita em toda a trama, mesmo não se apresentando forte,como em outros spaghetti westerns, porém, isso é muito mais uma necessidade  de fundo, o que acaba soando quase imperceptível.

 Em suma, “Alguns Dólares para Django” pode ser considerado um ótimo filme, que se utilizou de ótimos cenários, bem parecidos com os americanos,e com sets de filmagens de boa qualidade. Com um elenco de ótima qualidade, a atuação dos protagonistas acaba se sobressaindo, compensando uma batuta considerada polêmica e desajustada. Quanto à trilha sonora, embora não se apresente poderosa como em outros spaghetti westerns, como em “O bom, o mau e o feio” ou “À sombra de uma arma”, o espectador logo  percebe  que se trata de um faroeste italiano, em razão de seu sotaque inconfundível.  Por outro lado, o roteiro é bastante elogiável e as cenas de lutas muito bem coreografadas. A qualidade da imagem de “Alguns dólares para Django”, arquivo disponível no acervo do site, é excelente, com formato de tela widescreen panorâmico, colorido de luxo e legenda em português. O filme é altamente recomendado para os seguidores dos spaguetti westerns e, especialmente, os fãs de Anthony Steffen, que neste trabalho tem brilhante atuação, como sempre. É claro que não se pode deixar de elogiar também a presença e a brilhante atuação do fenomenal Frank Wolff, outro peso pesado do elenco.

 

Elenco: AnthonySteffen, Gloria Osuna, Frank Wolff , Joe Kamel, José Luis Lluch, Tomás Zalde,Alfonso Rojas, Angel Ter, José Luis Zalde, Sandalio Hernándeza , Joaquin Parra,Félix Fernández

 

Música: Carlo Savina


Categories: Resenhas


Comments are disabled.